Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho: dia de lamentar, mas também de fortalecer a luta pela vida

postado em: Notícias | 0

Diante do agravamento da pandemia no país, alertar para a importância do Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, 28 de abril, faz-se ainda mais necessário. No pior mês desde o início da pandemia no país e em que Santa Catarina passou de 13 mil mortes por Covid-19, o Sindifoz segue firme na luta em defesa da vida de todos.

A data é uma oportunidade para refletir sobre os desafios impostos e aprofundados pela pandemia em seus ambientes de trabalho. A falta de políticas públicas, os constantes ataques e a desvalorização dos servidores públicos ficam ainda mais evidentes diante dessa grave crise sanitária.

O Sindifoz lamenta tantas mortes, mas também lembra que a luta pela vida não deve parar. Afinal, saúde e segurança no trabalho são direitos do trabalhador e devem ser cumpridos à risca. É preciso que todos se conscientizem e atentem para os riscos de acidentes e doenças relacionados ao ambiente de trabalho. Além disso, é preciso continuar tomando todos os cuidados e permanecer em casa o máximo que puder para que a defesa da vida de todos seja a principal bandeira, enquanto a vacina não vem para todos.

Luto, para o Sindifoz, é verbo!

Saiba mais

Historicamente, o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho se originou no movimento sindical canadense e se internacionalizou em 1996, quando um grupo de sindicalistas cutistas brasileiros realizou, pela primeira vez, uma cerimônia de velas acesas na sede da ONU em Nova Iorque, que acabou chamando a atenção de todos os governos para a gravidade do assunto. A Organização Internacional do Trabalho (OIT), desde 2003, consagra este dia à reflexão sobre a segurança e saúde no trabalho.